Resumo histórico de cidade

LINHA DO TEMPO NA HISTÓRIA DE ITABAIANA

ANO e FATO

1.506 – As itabounhanhas – Serras que são os lugares morada das pessoas de onde vem os rios – recebem o nome de Serra Santa Maria da Graça, por Américo Vespúcio, e é grafada no primeiro mapa mundi em que aparece o continente americano, do alemão Martin Waldseenmüller
1.570 – Lendas de serras de prata permeiam o Brasil
1.575 – Antônio Adorno diz a João Coelho de Souza que existem serras de prata no sertão.
1.583 – Gabriel Soares de Souza vai a Madri pedir licença ao Rei Felipe II e dinheiro pra descobrir a prata.
1.590 – Felipe II – da Espanha e com mando sobre Portugal – cria a cria a Capitania de Sergipe, mandando Cristóvão de Barros invadi – la e escravizar os índios.
1.580 – Depois da morte de Gabriel Soares de Souza, em busca da prata, Melchior Dias Moreia, neto de Caramuru parte em busca das minas
1.590 – Ayres da Rocha Peixoto ganha sesmaria que inclui a Itabaiana
1.601 – Sem vingar a sesmaria de Ayres da Rocha Peixoto, a Itabaiana é dividida em várias outras.
1.612 – A Itabaiana é a região maior fornecedora de gado do Brasil, alimentando Pernambuco e principalmente a Bahia
1.619 – Vem à Itabaiana o governador – geral do Brasil, D. Luiz de Souza, atrás da prata que Melchior disse estar na Itabaiana
1.620 – Nessa década é construída a Igreja Velha, hoje em ruínas, bem próxima da Agrovila.
1.628 – Francisco Dias d’Ávila, filho de Garcia d’Ávila, vem à Itabaiana com Domingos Fernandes Calabar tentar encontrar a prata
1.637 – Atrás dos guerrilheiros de Henrique Dias e Felipe Camarão, do gado de Itabaiana e da suposta prata da Itabaiana, os holandeses invadem Sergipe
1.656 – Cobranças abusivas de impostos faz explodir em São Cristóvão a Rebelião dos Curraleiros. Vaqueiros de Itabaiana invadem a capital em 05 de novembro.
1.663 – Fernão Carrilho ganha o cargo de capitão do mato para a Itabaiana.
1.665 – É fundada a Irmandade das Santas Almas que será depois fundida com outra ainda não reconhecida, se tornando Irmandade de Santo Antônio e Almas.
1.668 – Instalado o Distrito policial
1.674 – Chega a expedição da prata de D. Rodrigo de Castel Branco, com ordens pra fundar uma cidade, em caso de encontro da prata.
1.675 – a vinda de D. Rodrigo força a criação da Freguesia de Santo Antônio, pedra fundamental da futura cidade
1.675 – Sem encontrar a prata, D. Rodrigo vai embora e ideia da cidade morre.
1.695 – Na expedição de Barbosa Leal, um padre acha ouro na Itabaiana.
1.696 – Devido à proximidade do mar, e já tendo o ouro de Minas Gerais, o rei de Portugal manda fechar a mina de Itabaiana, tratando o assunto como alto segredo de Estado. E para garantir a obediência manda fundar vilas na Itabaiana e no Distrito do Lagarto, emancipando – as de São Cristóvão. Lagarto era o caminho natural de Salvador para a Itabaiana.
1.697 – O governo colonial cumpre a ordem do rei e EMANCIPA o arraial de Santo Antônio da Itabaiana, que vira sede municipal.
1.698 – É confirmada a torrente de ouro no Rio das Velhas, Minas Gerais
1.700 – Com a regularização das minas de Minas Gerais, a riqueza migra de todo o Nordeste para o sul. Currais de Itabaiana perde importância. Em julho são nomeados o primeiro prefeito (alcaide), primeiros tabeliães e escrivães da Câmara e da alcaideria (Prefeitura)
1.703 – O rei de Portugal proíbe qualquer mina a menos de 300 quilômetros do mar.
1.743 – Sergipanos tentam permissão para minerar o ouro de Itabaiana. Sem sucesso.
1.757 – O padre Francisco da Silva Lobo descreve em carta a situação de Santo Antônio da Itabaiana e seu município.
1.761 – O padre Francisco da Silva Lobo pede por construção da Matriz de Santo Antônio e Almas. (1757)
1.764 – Matriz concluída e inaugurada.
1.770 – Na década, acultura da cana avança para o interior sergipano a partir de Santo Amaro e de São Cristóvão e chega ao vale do Cotinguiba, nas fraldas das serras.
1.799 – As vilas, sede municipais em Sergipe é um amontoado de casas fechadas, com as pessoas morando nas fazendas e engenhos
1.802 – Primeiro registro da Feira de Laranjeiras. Itabaianenses já dominam ali o comércio.
1.806 – Itabaiana tem vigorosa indústria de tecidos rústicos e redes.
1.821 – Leite Sampaio, capitão em Itabaiana lidera rebelião contra a Bahia à favor da Independência sergipana.
1.823 – Barão de Itabaiana negocia Independência do Brasil com Inglaterra e Portugal
1.823 – Confirmada a Independência de Sergipe, Leite Sampaio: Governador por um mês.
1.824 – Itabaiana elege dois deputados à Assembleia Provincial.
1.826 – Itabaiana elege Leite Sampaio um dos dois deputados à Assembleia Imperial no Rio de Janeiro.
1.832 – Emancipação de Laranjeiras retira quase toda a parte do município de Itabaiana entre as serras e o rio Cotinguiba. Nomeado o primeiro professor para Itabaiana. Manuel de Deus Machado, de Itabaiana, assume o governo de Sergipe.
1.835 – Dominantes na feira de Laranjeiras, os feirantes de Itabaiana são convocados fundar a feira de São Cristóvão, que ocorre em 5 de julho.
1.836 – Sergipanos ainda sonham com as minas da serra de Itabaiana.
1.839 – Criada a segunda escola, no povoado Campo do Brito.
1.841 – Provida a cadeira de Latim em Antônio Diniz Barreto.
1.842 – Começa a construção de prédio da cadeia que não terminou.
1.845 – Primeira divisão da Paróquia de Santo Antônio com a criação da Freguesia de Nossa Senhora da Boa Hora, do Campo do Brito. A igreja foi construída bem longe da primeira povoação que ganhou o nome de Brito Velho.
1.848 – Mortes devido a brigas partidárias nas eleições de 10 de outubro
1.849 – Itabaiana tem 12.498 habitantes.
1.852 – Município de Itabaiana tem 28 engenhos de açúcar.
1.853 – Primeira epidemia de cólera. Correio chega a Itabaiana.
1.854 – Chega em Itabaiana o professor Tobias Barreto de Menezes.
1.855 – Segunda epidemia de cólera devasta o município. Só na vila, 338 mortos.
1.856 – Eleição violenta com prisão de opositores locais.
1.857 – Irmandade das Almas cria cemitério para seus membros, ao fundo da Matriz. Criada a primeira escola para meninas.
1.858 – Itabaiana tem três professores primários – um de meninas
1.859 – Criadas a Promotoria e a Comarca de Itabaiana.
1.860 – Território a oeste do município, hoje Frei Paulo Pinhão e Carira, com baixa colonização
1.861 – Algodão invade o oeste do município trazendo riqueza.
1.863 – Terceira epidemia de cólera mata quase mil pessoas em todo o município.
1.868 – O Frei Paulo de Casanovas constrói açude e capela no povoado Jenipapo, embrião do futuro município.
1.870 – Povoado da Várzea do Gama recebe a terceira escola primária no município. Escola de meninas em Campo do Brito e mais uma de meninos, no povoado Sobrado.
1.871 – O censo revela que Itabaiana tem a maior população escrava de Sergipe.
1.872 – Decreto Imperial autoriza a construção de ferrovia de Salvador a Itabaiana. Que nunca foi feita.
1.873 – Contratado o construtor da estrada de ferro Laranjeiras – Itabaiana, que aqui faria a ligação com Salvador e o sul do país. Que também nunca foi feita.
1.874 – Antônio Conselheiro em Itabaiana. Emancipação de Riachuelo retira parte do município de Itabaiana entre as serras e o rio Sergipe, exceto a Santa Rosa de Lima.
1.878 – O povoado de Jenipapo vira Distrito de São Paulo (hoje Frei Paulo).
1.888 – Seca e queda nos preços de açúcar e algodão reduz população escrava, vendida para a província, hoje estado de São Paulo. Batista Itajaí chega à Itabaiana. Vila recebe o status de cidade.
1.891 – Deputado itabaianense renuncia ao mandato e provoca crise na primeira constituinte estadual republicana. Batista Itajaí cria projeto político.
1.896 – Chega o telégrafo.
1.897 – Brigas de coronéis da política: coronel Sebrão é preso.
1.906 – Construção do primeiro mercado público. Instalação da feira no futuro Largo Santo Antônio.
1.908 – Primeira tentativa de iluminação pública.
1.910 – Batista Itajaí assume como governador
1.913 – Construção do prédio da Prefeitura. Volta a iluminação.
1.919 – Morte de Batista Itajaí. Sebrão se torna chefe supremo e muda a feira de volta para a Praça Fausto Cardoso. Construção da Cadeia. Iluminação a eletricidade por motor a vapor.
1.922 – Começa a construção da primeira estrada de rodagem.
1.927 – Sebrão perde poder e a chave do cofre da Prefeitura.
1.928 – Cajuza Queiroz constrói o mercado definitivo e reinstala a iluminação. Inaugurada a primeira estrada de rodagem, a Itabaiana – Laranjeiras.
1.936 – Eleito o primeiro administrador com o título de prefeito de Itabaiana. Inaugurado o primeiro prédio escolar de Itabaiana, o Grupo Escolar Guilhermino Bezerra.
1.937 – Fundação do Hospital Regional Dr. Rodrigues Dória.
1.941 – Manoel Francisco Teles assume a Prefeitura como prefeito indicado.
1.946 – Eleição pra prefeito elege Jason Correia, do PSD, contra Euclides Paes Mendonça, da UDN.
1.947 – Começa a construção da BR – 235.
1.948 – Inaugurados o matadouro municipal e nova cadeia.
1.949 – Em abril, a primeira festa carnavalesca – a Micareme. Em novembro, inauguração do Colégio Estadual Murilo Braga
1.950 – Eleição de Euclides Paes Mendonça, da UDN, com derrota de Manuel Francisco Teles, do PSD.
1.953 – Luz de Paulo Afonso e açude. Tentativa de construção de campo de aviação. Calçamento e jardinagem da Praça Fausto Cardoso.
1.955 – Assassinato do ex – intendente (prefeito) Cajuza Queiroz. Cidade dobrou em vinte e cinco anos.
1.959 – Primeira máquina de escrever na Prefeitura.
1.960 – Cidade mais que dobrou em dez anos.
1.963 – Primeiro caminhão para coleta de lixo. Posse de Euclides Paes Mendonça como deputado federal na Câmara dos Deputados em Brasília. Assassinato de Euclides e seu filho, Antônio de Oliveira Mendonça.
1.964 – Chega a água encanada. Surge a liderança de Chico de Miguel. Itabaiana ganha título de Município Celeiro de Sergipe e de Município Modelo, pelo Ministério da Agricultura.
1.965 – Iniciada a construção do Grupo Escolar, Dr. Airton Teles.
1.966 – Eleição pra deputado estadual elege Chico de Miguel como o terceiro mais votado do estado, e elege, com o prefeito Vicente Machado Menezes, o primeiro vice – prefeito, Derivaldo Queiroz.
1.967 – Assassinato de Manoel Francisco Teles.
1.969 – Construção do primeiro conjunto habitacional da cidade, o João Pereira.
1.970 – Cidade dobra em dez anos. Manobra política contra Chico de Miguel. MDB ganha eleição. Início das obras dos grupos escolares Eduardo Silveira e Eliezer Porto.
1.973 – Chega o asfalto na BR – 235.
1.978 – Chegam o rádio e a universalização do telefone. (1978)
1.982 – Oposição se fortalece com eleição para deputado estadual do radialista Djalma Lobo
1.984 – Rompimento de Chico de Miguel com o Governo do Estado, mais fortalece a oposição.
1.986 – Construção do segundo conjunto habitacional na cidade, o Luiz Conceição, Barragens do Jacaracica I e Projeto Ribeira.
1.988 – Nas eleições de novembro Chico de Miguel perde o controle da Prefeitura Municipal depois de 16 anos de poder total pessoal, e 38 do seu grupo.

AUTOR
José de Almeida Bispo, pesquisador e historiador, membro fundador da Academia Itabaianense de Letras, ocupante da cadeira 27.

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: